Carolina Ignarra, aponta os principais cuidados que a rede hoteleira deve observar para pessoas com deficiência

hotéis inclusivos

De acordo com dados recém divulgados no relatório do Ministério do Trabalho, o número de pessoas com deficiência que conseguiram um emprego formal no Brasil aumentou 5,5% entre 2016 e 2017, este número significa 441 mil pessoas ocupando vagas formais em regime CLT.

Esse aumento da inclusão no mercado de trabalho revela o crescimento do poder de consumo deste público. Diante da melhora e do desenvolvimento socioeconômico das pessoas, tanto o setor hoteleiro quanto os negócios precisam se preparar para atender com qualidade os consumidores com deficiência de forma adequada e compatível com as necessidades de cada pessoa.

Atenta a esse movimento, a Talento Incluir, uma consultoria que já viabilizou empregos e desenvolvimento profissional a mais de 5000 pessoas com deficiência em 10 anos de atuação, tem treinado e participado do processo de inclusão nas principais redes de hotéis do país.

Com o objetivo de tornar o setor mais inclusivo às pessoas com deficiência, a sócia fundadora da Talento Incluir, Carolina Ignarra, aponta os principais cuidados que a rede hoteleira deve observar para proporcionar uma experiência positiva durante a estadia desse público que vem crescendo ano a ano:

• Acessibilidade arquitetônica é importante, mas não é o tudo. A quebra de barreiras atitudinais, ou seja, o atendimento inclusivo é o que fará a diferença, caso o local ainda não esteja estruturalmente acessível.
• Invista em treinamentos a todos os funcionários para promover a cultura de inclusão para tornar o atendimento aos hóspedes com deficiência um procedimento natural, respeitoso, superando as expectativas.
• Ter na equipe pessoas com deficiência gera empatia e confiança, pois essa convivência auxilia na identificação das melhorias nas estruturas e na comunicação com o público em condição semelhante.
• Aproximar-se espontaneamente do cliente com deficiência para entender as necessidades específicas e aproveitar a opinião deles para realizar as melhorias propostas
• Proporcionar a esse público a mesma experiência de hospedagem oferecida aos demais clientes, cuidando para o atendimento não ser exagerado e nem virar “paparicação” ou “infantilização”.
• Toalhas e controles remotos devem sempre estar ao alcance de pessoas com nanismo, usuárias de cadeira de rodas ou com dificuldade de extensão de braços;
• Sanitários acessíveis não devem ser utilizados como dispensa ou depósito;
• Pessoas com deficiência intelectual devem ser tratadas como crianças apenas se forem crianças.

O setor hoteleiro terá oportunidades de crescimento dos negócios e aumentará seus resultados financeiros se estiver preparado para atender com excelência à crescente demanda das pessoas com deficiência.

“Quando eu, que uso cadeira de rodas, viajo com minha filha, que não tem deficiência, se o hotel não estiver preparado para me atender, consequentemente, ela não se sentirá bem atendida. Nesta linha, percebemos que não é apenas o público com deficiência (24% da população brasileira) que deixamos pra trás, quando não há acessibilidade e cultura de inclusão, deixamos de atender pelo menos, o dobro desse número”. Conclui Carolina Ignarra, sócia fundadora da Talento Incluir.

A Talento Incluir é uma consultoria que promove a relação entre profissionais com deficiência e o mercado de trabalho. Desenvolve projetos de consultoria, treinamento, seleção e retenção, de profissionais com deficiência, além de preparar as empresas para melhor atender a esse perfil de consumidor. Fundada há 10 anos, a Talento Incluir já proporcionou emprego mais de 5.000 pessoas com deficiência a partir de uma preparação exclusiva e diferenciada. Além disso, aplicou programas de treinamentos exclusivos para inclusão corporativa em mais de 280 empresas de diversos setores em todo Brasil.

Contato:
Talento Incluir
(11) 2283-1004
http://talentoincluir.com.br/